Prosa meio poesia

Venho aqui escrever-te e descrever-te, revelar-me, revelar-te, revelar-nos. A quem quiser, puder, e der a sorte de conhecer-te. De compartir tua lábia esperta, teu sorriso certo pra um futuro incerto. Tua vontade de fazer mudar, tua vontade de fazer crescer, teu discurso que faz saudável sentimento instalado, aninhado, alojado. Cá estou a escrever a minha prosa meio poesia. Nossa; tua e minha. Como gostaria de assim usar tantas outras coisas. Saiba que aqui estou olhando a todos, mas observando apenas ti, analisando tua linguagem, colocando-a junto a mi’. Aproxima-te, que o frio vem. Dobra o casaco, desfaz-te dele. E agora desdobre-te a ti, que é tua vez e de mais ninguém.

———————————————————————————————————————————————————

Que fique claro que sou a natureza tentando adaptar suas necessidades ao ambiente, caríssimos.

Anúncios
Este post foi publicado em 10/05pmFri, 25 May 2012 22:54:53 +0000/2012 às 10:54 PM. Ele está arquivado em Sem categoria e marcado , , . Guarde o link permanente. Seguir quaisquer comentários aqui com o feed RSS para este post.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: