Reminiscências Osculares ou Prosa meio poesia ii

Depois de tanto escuro, o que não pensamos esclareceu o que já estava pensado, mas estava no escuro, e então foi findo. Como antes acreditávamos estar indo. O que não havia sido pensado foi falado.  Todavia, figura feminina que sou, não abandonei a esperança, nesses casos conhecida como saudade. Empresto-me palavras, e passei e repassei nossas memórias no que agora é só minha memória. Empresto-me vocábulos novamente, porém sem mais a dizer, recolho-me com as reminiscências osculares da antiga nossa, hoje minha história.

Anúncios
Este post foi publicado em 10/08pmSun, 12 Aug 2012 13:42:23 +0000/2012 às 1:42 PM. Ele está arquivado em Sem categoria e marcado , . Guarde o link permanente. Seguir quaisquer comentários aqui com o feed RSS para este post.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: